quinta-feira, 18 de agosto de 2016

A VIDA NA SUA LEVEZA INTACTA, por Willian Xavier


Vai ter uma festa que eu vou dançar até o sapato pedir pra parar. Aí eu paro, tiro o sapato e danço o resto da vida."


A vida, na sua leveza intacta, nos convida sempre a um passeio honesto por nós mesmos. Passear até calar a tensão sobre as costas, desatar os nós da carne, respirar a brisa que nos cerca pela manhã. É preciso, acima de tudo, aproveitar o que não foi comprado, rir na presença de todos, mostrar nossa alma quando todos esperarem nosso choro. E se realmente for chorar, faça-o com dignidade, e chore pelo o que quiser... até parar.
Se a cobrança recair sobre seus olhos: respire. Se a dor vier impertinente: inspire. Isso talvez demande tempo, então espere... mas sem parar. Esteja pronto para o show quando a música tocar, mas caso não saiba dançar, aproveite a festa. Esteja pronto para chegar em primeiro, caso caia antes do fim, chegue ao fim e vença a si mesmo.
Pois a vida, na sua leveza intacta, sempre irá nos convidar para seu passeio. Então, quando o fim de tarde te fizer triste, enfrente o horizonte como quem anseia por ar, e grite para o vento o que tiver de gritar. Apenas não se dê por vencido, não se entregue por pouco ou por muito, não se desvie do caminho. E quando a noite chegar, e a cabeça pesar sobre o travesseiro, deixe a janela aberta e olhe para o céu, mesmo se as estrelas não estiverem lá, lá estarão os astros, os cometas, os satélites... mesmo que as estrelas não brilhem, respire e inspire.
Ande pela areia da praia ao menos uma vez, olhe a água do rio correr ao menos uma vez, dance até os pés doerem ao menos uma vez. Pois você irá passear quando a vida convidar...  espere leve por isso, permaneça intacto! 


Postar um comentário

INSTAGRAM

Arquivo do blog